Compartilhar
Informação da revista
Compartilhar
Compartilhar
Baixar PDF
Mais opções do artigo
Visitas
...
Dermatologia Tropical/Infectoparasitária
DOI: 10.1016/j.abdp.2020.07.002
Open Access
Disponível online o 30 Julho 2020
Dermatoscopia digital: um método complementar no diagnóstico da escabiose
Visitas
...
Elaine Dias Meloa,
Autor para correspondência
e.dmelo@yahoo.com

Autor para correspondência.
, Carla Barros da Rocha Ribasb, Isabel Cristina Lima Encarnaçãob
a Departamento de Ensino e Pesquisa, Fundação de Dermatologia Tropical e Venereologia Alfredo da Matta, Manaus, AM, Brasil
b Ambulatório de Dermatologia Pediátrica, Fundação de Dermatologia Tropical e Venereologia Alfredo da Matta, Manaus, AM, Brasil
Recebido 09 Agosto 2019. Aceitado 30 Novembro 2019
Informação do artigo
Resume
Texto Completo
Bibliografia
Baixar PDF
Estatísticas
Figuras (4)
Mostrar maisMostrar menos
Resumo

A escabiose é ectoparasitose causada pelo ácaro Sarcoptes scabiei var. hominis, caracterizada clinicamente por lesões pruriginosas em localizações típicas, cuja forma crostosa é manifestação rara. O diagnóstico geralmente é estabelecido frente ao quadro clínico, porém a dermatoscopia pode ser um importante método complementar ao possibilitar a observação de estrutura triangular acastanhada em asa delta. Relata‐se caso de escabiose crostosa no qual a amplificação das imagens obtidas por dermatoscopia digital tornaram possível a demonstração de estrutura normalmente observada apenas com videodermatoscopia.

Palavras‐chave:
Dermoscopia
Diagnóstico por imagem
Escabiose
Texto Completo

A escabiose é ectoparasitose causada pelo ácaro Sarcoptes scabiei var. hominis, cuja transmissão ocorre por contato interpessoal e, ocasionalmente, fômites.1,2 Caracteriza‐se clinicamente por pápulas eritematosas ou vesículas e túneis localizados nos espaços interdigitais, superfícies flexoras dos punhos, região umbilical e áreas flexurais.1

A forma crostosa é considerada apresentação rara; imunodepressão, déficits mentais e/ou motores são os principais fatores de risco.3 Manifesta‐se com lesões hiperceratóticas, fissuradas, crostosas ou eritrodermia, prurido variável e milhões de ácaros e é altamente contagiosa.1,4

O diagnóstico é geralmente estabelecido frente ao quadro clínico, porém pode ser complementado por dermatoscopia, videodermatoscopia ou microscopia confocal e confirmado por exame direto ou biópsia.1,2 Relata‐se caso de escabiose crostosa com ênfase nos achados dermatoscópicos.

Paciente do sexo feminino de 29 anos, indígena, apresentava havia oito meses pápulas eritematosas e placas liquenificadas, algumas hiperceratóticas, nas regiões acrais, flexurais e abdome, associadas a leve prurido (fig. 1). Foram feitas dermatoscopia com imersão, sob luz polarizada (10×, DermLite DL4, Califórnia, EUA) de lesão não escoriada no braço e captura da imagem por câmera fotográfica (12 Mp, iPhone 7, Apple Inc., Califórnia, EUA) com zoom óptico 2×, o que permitiu a observação das estruturas diplopoda‐símile e asa delta (fig. 2). Posteriormente, a amplificação da imagem demonstrou uma estrutura arredondada translúcida (fig. 3). O exame direto confirmou o diagnóstico de escabiose crostosa (fig. 4) e após o tratamento a paciente evoluiu com resolução das lesões.5

Figura 1.

Pápulas eritematosas e placas liquenificadas, algumas hiperceratóticas, localizadas principalmente nas extremidades, áreas flexurais (A) e abdome (B).

(0,06MB).
Figura 2.

Demonstração das estruturas: (i) asa delta: porção anterior do corpo e patas dianteiras do ácaro; (ii) diplopoda‐símile: túnel escabiótico (dermatoscopia digital [10×] com imersão, sob luz polarizada e zoom óptico [2×]).

(0,25MB).
Figura 3.

Demonstração das estruturas: (i) asa delta: porção anterior do corpo e patas dianteiras do ácaro; (ii) diplopoda‐símile: túnel escabiótico; (iii) arredondada translúcida: corpo do ácaro. (Dermatoscopia digital [10×] com imersão, sob luz polarizada, zoom óptico [2×] e amplificação da imagem).

(0,2MB).
Figura 4.

A, demonstração do ácaro e B, observação dos ovos no exame direto (KOH 20% 100×).

(0,22MB).

A dermatoscopia tem sido bastante relatada nos últimos anos como auxiliar no diagnóstico da escabiose. Ela possibilita a observação de estrutura triangular acastanhada em asa delta correspondente à porção anterior do corpo e às patas dianteiras do ácaro e um túnel, que pode assumir uma conformação “diplopoda‐símile”.6 Na escabiose crostosa, há relatos de um padrão túnel sobre túnel, descrito como noodle pattern, que corresponde a túneis escavados por vários parasitas.7

A observação do corpo do ácaro é relatada ao se usar videodermatoscopia.2,8 Em 2016, Cinotti et al. compararam a amplificação de 20× e 70× e apenas observaram o corpo do ácaro no maior aumento.9

Entretanto, em 2019, Scanni demonstrou tal estrutura com a dermatoscopia digital, definida como aquisição e armazenamento de imagens obtidas pela dermatoscopia.10 Ele associou dermatoscopia (10×), zoom óptico da câmera fotográfica (3‐5×) e amplificação da imagem e demonstrou algumas estruturas que a compõem, o que definiu como The Mite‐Gallery Unit.10 Essa unidade é composta por cabeça, que corresponde ao ácaro com a estrutura em asa delta, corpo, que contém o túnel com ovos e fezes, e cauda, no fim do túnel composto por colaretes de queratina, observada apenas com a dermatoscopia sem imersão. Com a amplificação da imagem pode‐se ver também o corpo translúcido do ácaro com vários pontos escuros dispersos chamados ladybird sign.10 No presente relato, ao empregar essa técnica podem‐se demonstrar a imagem em asa delta, o corpo ovoide e o túnel.

Sabe‐se que na videodermatoscopia a observação do corpo do ácaro, ovos e fezes é obtida da melhor forma possível.2,8 Porém, quando indisponível, o uso da técnica descrita por Scanni e aplicada no presente relato pode possibilitar um diagnóstico de maior precisão da escabiose.

Suporte financeiro

Nenhum.

Contribuição dos autores

Elaine Dias Melo: Concepção e planejamento do estudo; elaboração e redação do manuscrito; obtenção, análise e interpretação dos dados; participação intelectual em conduta propedêutica e/ou terapêutica de casos estudados; revisão crítica da literatura.

Carla Barros da Rocha Ribas: Aprovação da versão final do manuscrito; elaboração e redação do manuscrito; participação efetiva na orientação da pesquisa; participação intelectual em conduta propedêutica e/ou terapêutica de casos estudados; revisão crítica do manuscrito.

Isabel Cristina Lima Encarnação: Aprovação da versão final do manuscrito; participação efetiva na orientação da pesquisa; participação intelectual em conduta propedêutica e/ou terapêutica de casos estudados; revisão crítica do manuscrito.

Conflitos de interesse

Nenhum.

Agradecimentos

À Dr.ª Patrícia Motta de Morais, dermatopatologista que auxiliou no registro fotográfico do exame direto.

Referências
[1]
M. Sánchez-Borges, L. González-Aveledo, A. Capriles-Hulett, F. Caballero-Fonseca.
Scabies, crusted (Norwegian) scabies and the diagnosis of mite sensitisation.
Allergol Immunopathol (Madr)., 46 (2018), pp. 276-280
[2]
G. Micali, F. Lacarrubba, A.E. Verzì, O. Chosidow, R.A. Schwartz.
Scabies: Advances in Noninvasive Diagnosis.
PLoS Negl Trop Dis., 10 (2016), pp. e0004691
[3]
G. Jouret, R. Bounemeur, A. Presle, R. Takin.
La gale hyperkératosique.
Ann Dermatol Venereol., 143 (2016), pp. 251-256
[4]
J.S. Davis, S. McGloughlin, S.Y. Tong, S.F. Walton, B.J. Currie.
A Novel Clinical Grading Scale to Guide the Management of Crusted Scabies.
PLoS Negl Trop Dis., 7 (2013), pp. e2387
[5]
C.M. Salavastru, O. Chosidow, M.J. Boffa, M. Janier, G.S. Tiplica.
European guideline for the management of scabies.
J Eur Acad Dermatol Venereol., 31 (2017), pp. 1248-1253
[6]
L. Towersey, M.X. Cunha, C.A. Feldman, C.G. Castro, T.G. Berger.
Dermoscopy of Norwegian scabies in a patient with acquired immunodeficiency syndrome.
An Bras Dermatol., 85 (2010), pp. 221-223
[7]
S. Chavez-Alvarez, A. Villarreal-Martinez, G. Argenziano, J. Ancer-Arellano, J. Ocampo-Candiani.
Noodle pattern: a new dermoscopic pattern for crusted scabies (Norwegian scabies).
J Eur Acad Dermatol Venereol., 32 (2018), pp. e46-e47
[8]
F. Lacarrubba, G. Micali.
Videodermatoscopy and Scabies.
J Pediatr., 163 (2013), pp. 1227
[9]
E. Cinotti, B. Labeille, F. Cambazard, A.C. Biron, C. Chol, A. Leclerq, et al.
Videodermoscopy compared to reflectance confocal microscopy for the diagnosis of scabies.
J Eur Acad Dermatol Venereol., 30 (2016), pp. 1573-1577
[10]
G. Scanni.
The Mite‐Gallery Unit: A New Concept for Describing Scabies through Entodermoscopy.
Trop Med Infect Dis., (2019), pp. 4

Como citar este artigo: Melo ED, Ribas CBR, Encarnação ICL. Digital dermatoscopy: a complementary method in the diagnosis of scabies. An Bras Dermatol. 2020. https://doi.org/10.1016/j.abd.2019.11.014

Trabalho realizado na Fundação de Dermatologia Tropical e Venereologia Alfredo da Matta, Manaus, AM, Brasil.

Copyright © 2020. Sociedade Brasileira de Dermatologia
Idiomas
Anais Brasileiros de Dermatologia (Portuguese)

Receba a nossa Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas
en pt
Cookies policy Política de cookies
To improve our services and products, we use "cookies" (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here. Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.